sexta-feira, 14 de novembro de 2008

pausa


Dedaleiro
Local: Jardim das Paineiras - Jaú-SP
Data: 14/11/2008

3 comentários:

Luiz Álvaro disse...

exótica esta flor.

Luiz Álvaro disse...

Paulo, acho que descobri, por acaso, que flor é esta. É a dedaleira (Lafoensia pacari). Saiu uma foto dela na revista Terra da Gente de dezembro.

paulo guerra disse...

Identificação: Luiz Álvaro

Dedaleiro - Lafoensia pacari

Um quilograma de sementes contém 39.000 unidades.
Família Lythraceae.
Nomes populares – dedaleiro (SP), pacari, pacari-do-mato, pacuri, louro-da-serra (SC), dedaleira-amarela, mangaba-brava (GO), candeia-de-caju, copinho, dedal, mangabeira-brava (MS), pau-de-bicho.
Características morfológicas – Altura de 10-18 m, com tronco de 30-60 cm de diâmetro. Folhas curto-pecioladas ou sésseis, coriáceas, de 8-15 cm de comprimento. Fruto cápsula lenhosa deiscente.

Ocorrência – Minas Gerais, São Paulo, Mato grosso do Sul até santa Catarina, nas florestas de altitude e no cerrado.

Madeira – moderadamente pesada, dura, textura fina, grã direita ou irregular, superfície lisa ao tato e brilho pouco acentuado, de grande durabilidade quando em contato com o solo.

Utilidade – A madeira é utilizada para obras externas e internas, marcenaria, tacos para assoalhos, confecção de cabos de ferramentas e moirões, construção civil e tabuado em geral. A árvore apresenta boas características ornamentais e pode ser utilizada no paisagismo, principalmente na arborização urbana. Também recomendada para reflorestamentos mistos destinados à áreas degradadas. Informações ecológicas – Planta decídua, heliófita, indiferente às condições físicas dos solo, característica das florestas de altitude (latifoliada semidecídua e de pinhais). Ocorre também no cerrado, porém seus exemplares apresentam menor desenvolvimento. Ocorre principalmente nas formações secundárias como capoeiras e capoeirões. Sua dispersão é ampla, porém descontínua, nunca formando grandes populações. Produz anualmente boa quantidade de sementes.

Fenologia – Floresce durante os meses de outubro-dezembro. A maturação dos frutos ocorre durante os meses de abril-junho.Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a abertura espontânea. Em seguida deixá-los ao sol para completar a abertura e liberação das sementes. A operação de colheita pode ser simplificada estendendo-se uma lona sob a árvore em adiantado estado de maturação dos frutos e balançando-se os ramos.

Produção de mudas – Colocar as sementes para germinação, logo que colhidas e sem nebhum tratamento, em canteiros semi-sombreados contendo substrato organo-arenoso; cobri-las com uma leve camada de substrato peneirado e irrigar duas vezes ao dia. A emergência ocorre em 10-15 dias e, a taxa de germinação é superior a 60%. O desenvolvimento das plantas no campo é moderado, podendo atingir 2,5 m aos 2 anos.

Árvores Brasileiras - Harri Lorenzi - vol.1 - pag.246

Retirado em 14/12/2008 de:
www.centraldassementes.com.br/product_info.php