terça-feira, 31 de agosto de 2010

quiriquiri

Quiriquiri
Local: Jardim Juliana - Jaú-SP
Data: 29/08/2010

Este lindo falcão foi avistado de muito longe por minha esposa Edilene, a quem dedico esta foto.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

domingo, 29 de agosto de 2010

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

coleirinho


Coleirinho - casal
Local: Jaú-SP
Data: 22/08/2010

É muito bom vê-los LIVRES.

Em Jaú, terra histórica de gaioleiros, tem muitos caçadores ainda. E o coleirinho ou coleirinha como é conhecido por aqui, é sempre muito visado pelo seu belo canto e docilidade.

guaracava-de-barriga-amarela

Guaracava-de-barriga-amarela
Local: Jaú-SP
Data: 22/08/2010

Maiores informações WikiAves

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

WikiAves - Jornal Correio do Povo - Rio Grande do Sul

Portal auxilia no cuidado das aves


Guedes comemora a catalogação de 1.598 espécies de pássaros que vivem no Brasil
Crédito: arquivo pessoal / especial
LUCIAMEM WINCK | luwinck@correiodopovo.com.br

O analista de sistemas mineiro Reinaldo César de Oliveira Guedes, 30, não imaginava que ao criar por hobbie o portal WikiAves - A enciclopédia das aves do Brasil- seria, em curto espaço de tempo, detentor do maior Programa de Monitoramento Voluntário de Aves da América do Sul. A homepage conta com colaboradores voluntários que podem compartilhar as fotografias que fizeram de pássaros, catalogar ou complementar informações sobre hábitos, detalhar o local onde avistou a ave, além de dispor seu canto para que os demais usuários possam escutá-lo. O WikiAves entrou no ar em dezembro de 2008, e mobiliza milhares de "caçadores" de pássaros em todo o país.

Das cerca de 1,8 mil espécies que vivem no país, 1.598 já estão catalogadas no site WikiAves, que conta com mais de 130 mil fotos e quase 10 mil gravações de áudio. "A ideia era criar uma ferramenta para divulgar fotografias, sons e informações colhidas por amigos biólogos e ornitólogos, além de permitir que outras pessoas leigas pudessem contribuir", explica. Guedes confidencia que não tinha noção das dimensões que assumiriam a sua criação. O maior destaque, segundo ele, foi a idealização de uma rede de amigos virtuais que, nas férias, marcam encontros em várias regiões do país para a realização de expedições fotográficas e investigativas. "Eles são tão unidos que, inclusive, denúncias de ameaças às aves formalizam às autoridades policiais em seus estados", afirma. Ele argumenta que o RS ocupa a quarta posição em número de usuários observadores, perdendo apenas para São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

O curador das coleções de aves do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo e professor universitário, ornitólogo Luís Fábio Silveira, avalia que Guedes teve uma formidável ideia, que começou de maneira despretensiosa. "Só que acabou criando um site tão completo que nós, cientistas e pesquisadores, o transformamos em local de busca", relata. Segundo ele, o WikiAves se transformou em importante instrumento de monitoramento da situação das aves brasileiras. "Por intermédio do site, temos condições de constatar a presença ou ausência de espécies ameaçadas em praticamente todos os estados do país", diz. Silveira assinala que a homepage é, atualmente, a mais visitada por ornitólogos do mundo inteiro. Segundo ele, em menos de dois anos, o WikiAves recebeu tantos colaboradores que formou um "exército" contra o tráfico de aves. "Os voluntários agem em várias frentes e acabam reduzindo o espaço de atuação de pessoas inescrupulosas que capturam pássaros raros para comercialização no mercado paralelo."

Fonte: Jornal Correio do Povo - Rio Grande do Sul, dia 22/08/2010
__,_._,___

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Jacques Vielliard


O professor do Instituto de Biologia (IB) da Unicamp e ornitólogo Jacques Vielliard registrou mais de 30 mil sons de pássaros e animais. É uma daquelas pessoas que somente conhecemos quando morre, dado o silêncio, a constância e a paciência de seu trabalho. Morreu na noite de segunda-feira (9), em Belém, no Pará, por complicações após uma cirurgia no aparelho digestivo.

O pesquisador, de 65 anos, era francês e morava no Brasil há 37 anos. Durante décadas de estudo registrou sons de pássaros e animais. O acervo, considerado o quinto maior do mundo, passa por processo de digitalização na Unicamp.

Como o próprio professor Vielliard informou, o acervo reunido por ele e seus colaboradores é extenso. Na coleção, há registros de sons emitidos por animais considerados raros e, muito provavelmente, por espécies que já não podem mais ser encontradas na natureza. É o caso da ararinha-azul (Cyanopsitta spixii). Um pesquisador suíço, amigo do docente da Unicamp, gravou os sons emitidos por um macho e duas fêmeas no sertão nordestino. À época, o cientista comunicou ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) sobre a presença dos animais na área. Entretanto, quando o órgão resolveu agir para tentar preservá-las, as aves já haviam desaparecido. “Atualmente, temos alguns poucos indivíduos que vivem em cativeiro, mas que dificilmente serão reintroduzidos na natureza. Ainda que sejam, os sons que emitem não são iguais aos dos parentes que viviam livremente, visto que passaram pela interação com animais com os quais não tomariam contato em seu habitat natural”, explicou Vielliard.

Há três anos, o professor estava no Pará desenvolvendo um projeto do arquivo sonoro da Amazônia, o estudo ajudaria na identificação dos diversos sons da mata.

O corpo de Jacques Vielliard vai ser enterrado em Belém.

Ao professor, nosso muito obrigado.


Foto Jornal da UNICAMP

Texto adaptado de Eric Gallardo

Fonte Revista Birdwatcher

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

sábado, 7 de agosto de 2010

sabiá-do-campo

Sabiá-do-campo
Local: Parque do Rio Jaú - Jaú-SP
Data: 07/08/2010

Observação: adulto se alimentando, acompanhado de um jovem e de um pica-pau-do-campo

pica-pau-do-campo

Pica-pau-do-campo ou chã-chã
Local: Parque do Rio Jaú - Jaú-SP
Data: 07/08/2010

Maiores informações WikiAves

sabiá-do-campo

Sabiá-do-campo - jovem
Local: Parque do Rio Jaú - Jaú-SP
Data: 07/08/2010

Maiores Informações WikiAves

suiriri

Suiriri
Local: Parque do Rio Jaú - Jaú-SP
Data: 07/08/2010

Maiores informações WikiAves

Ringed Kingfisher

Martim-pescador-grande
Local: Rio Jaú - Jaú-SP
Data: 07/08/2010

Maiores informações WikiAves

coró-coró

Coró-coró
Local: Rio Jaú - Jaú-SP
Data: 07/08/2010

Maiores informações WikiAves

Amazon Kingfisher

Martim-pescador-verde
Local: Rio Jaú - Jaú-SP
Data: 07/08/2010

Maiores informações WikiAves

Grassland Yellow-Finch


Tipio - jovemLocal: entorno da matinha da pedreira - Jaú-SPData: 14/11/2009



Maiores informações WikiAves

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

WikiAves ocupa a primeira colocação no ranking dos mais populares do mundo

O site WikiAves, maior banco de dados virtual da avifauna brasileira, acaba de ocupar a primeira colocação no ranking do Fat Birders Top 1000 (http://www.birdingtop500.com/), que elenca os 1000 sites relacionados à ornitologia e birdwatching mais relevantes em termos de visitações. O Fat Birders Top 1000 classifica os sites pela audiência e a do WikiAves tem predomínio de público brasileiro.

Segundo o criador do WikiAves, Reinaldo Guedes, é um grande momento para o WikiAves e uma grande satisfação ver o wiki e o Brasil no topo do ranking. “Eu acreditava que isto aconteceria, mas não esperava que seria com apenas 1 ano e 8 meses no ar”, disse Reinaldo.

Se alguém tinha alguma dúvida de que o site seria um sucesso em todos os sentidos, um dos moderadores do site, Wagner Nogueira acredita que já não existe mais espaço para este tipo de sentimento.
Reinaldo complementa: “Isto vem coroar o trabalho de toda a comunidade que acreditou na idéia e batalhou muito para ter um site com conteúdo de qualidade. Por isto, só tenho a agradecer a todos que acreditaram e colaboraram diariamente com o WikiAves, especialmente os moderadores.” Ele conclui com a seguinte avaliação “Hoje, o WikiAves é exatamente como imaginei há 2 anos atrás, está com um visual belíssimo, com informações sobre a maioria das espécies, mapas de registros cheios de pontinhos e um conteúdo monstruoso. Mas nosso trabalho não para por aí, ainda temos muitas idéias e sonhamos realizá-las uma-a-uma.”
O WikiAves foi criado com o objetivo de apoiar a comunidade online de biólogos e observadores de aves do Brasil fornecendo ferramentas interativas que permitam promover a busca pelo conhecimento, a comunicação entre usuários, a divulgação de informações sobre as aves brasileiras com foco na preservação e a formação colaborativa do maior banco de dados sobre aves do Brasil na Internet. Sua função é organizar o conteúdo fornecido pelos observadores e transformá-lo em informações úteis e de fácil acesso para usuários leigos, avançados e profissionais. Para isto, o site foi dividido em duas áreas: a área de páginas wiki, onde todos os usuários podem incluir e alterar o conteúdo das páginas, e a área de mídia, onde os usuários cadastrados podem enviar fotos e sons (mídias). Assim que as mídias são adicionadas e avaliadas pelos observadores, as melhores mídias passam a ilustrar as páginas wiki das espécies e dos táxons correspondentes às aves das mídias adicionadas.

Atualmente o site apresenta a versão 2.0, lançada recentemente. Ela trouxe uma nova interface visual, mais moderna e mais ampla, além de diversas melhorias. Entre as melhorias, destacam-se as páginas das cidades e dos estados, a valorização dos mapas de registros que foram colocados em pontos estratégicos, a mudança do tocador de som que trouxe mais recursos, e a criação do usuário contribuidor.

Os números do WikiAves são grandiosos, o site conta hoje com mais de 4.000 usuários cadastrados, mais de 9.000 sons registrados e mais de 100.000 fotos. Somente de fotos, são recebidas mais de 500 a cada dia.

Santa Catarina ocupa a quinta posição entre os estados brasileiros com mais usuários cadastrados (239), e a sexta posição entre os de mais espécies de aves registradas (522).

Parabéns ao Reinaldo, aos moderadores e a todos os demais que ajudam a construir e manter essa importante ferramenta. O WikiAves é um orgulho para a comunidade!

Fontes:
Reinaldo Guedes
Wagner Nogueira
www.wikiaves.com.br

Extraído do site do Coave(Clube de Observadores de Aves do Vale Europeu :

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

País que preserva o verde enriquece

A lógica mais repetida pelos governantes de países pobres é a de que as leis de proteção ambiental limitam a atividade agrícola e a exploração dos recursos naturais e suas florestas, o que pode contribuir para o aumento da pobreza. Eles temem uma redução ainda maior das atividades econômicas nessas regiões pouco desenvolvidas. Como a extensão das áreas protegidas mais que dobrou nos últimos 20 anos, a preocupação dos governantes com o impacto social dessas reservas também cresceu.
Porém, a aplicação de leis de preservação do meio ambiente pode ter uma consequência economicamente favorável: a ampliação da rede turística nos locais protegidos, o que demanda investimentos em infra-estrutura e, por consequência, a geração de empregos. O turismo já emprega 10% dos trabalhadores do planeta e o ecoturismo vem crescendo a um ritmo de 20% ao ano.
Há que se considerar que proteger a diversidade biólogica para as gerações futuras não é barato. Em uma análise publicada na revista Nature, em 1999, o economista e professor da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, Alexander James estimou que, no mundo todo, seriam necessários US$ 17 bilhões por ano para criar e manter um sistema de preservação que cubra 15% da superfície do globo - e este não seria o único custo envolvido. Mas o turismo seria capaz de compensar os investimentos e a limitação a outras atividades econômicas. É o que demonstra um estudo publicado esse ano em uma das revistas científicas mais respeitadas no mundo, a Proceedings of the National Academy of Sciences. Uma equipe de economistas e geógrafos estimou o impacto de áreas protegidas na situação social da Costa Rica e da Tailândia ao longo de 20 anos. Nos dois países, as reservas foram criadas em regiões miseráveis - na Costa Rica, os moradores dessas áreas eram três vezes mais pobres do que a média do país.
Em sua análise, os autores do estudo encontraram provas de que o grande impacto da proteção do ecossistema foi melhorar a integração dos habitantes à floresta e aliviar a pobreza. Na Tailândia, uma simulação a respeito do que aconteceria se aquela mata não fosse protegida indicou que os moradores seriam 30% mais pobres do que são atualmente. As experiências bem-sucedidas da Costa Rica e Tailândia lançam uma nova luz sobre o trabalho iniciado pelo Brasil em 2002 com as áreas protegidas da Amazônia, que pretende transformar até 2013, 60 milhões de hectares em áreas de preservação ambiental e exploração do ecoturismo ao custo de US$ 180 milhões. Com isso, a parte brasileira da floresta, que tem 23% de área protegida, passaria a 30%. Este foi o primeiro estudo do gênero, mas faz sentido: áreas de matas não se desenvolvem com plantações predatórias e extrativismo desorganizado.

Texto: Paulo Ferraro, é economista e professor da Georgia State University
Fonte: Revista Galileu, Agosto de 2010, nº 229, p. 96-7